quarta-feira, 31 de maio de 2017

Sobre o dia dos irmãos!

Recebi um mail da APFN a dizer isto:

"Ninguém tem dúvidas da importância que os irmãos podem ter na nossa vida. São quem nos acompanha na infância, estão presentes na maior parte das nossas memórias, foram os primeiros companheiros de aventura, os primeiros amigos. Ninguém se conhece como irmãos, niguém se zanga como os irmãos, ninguém se aceita como os irmãos. Esta cumplicidade que vem da partilha e do amor merece ser celebrada!
 
Os irmãos são parte de nós, parte da nossa história. O que acontece entre irmãos molda-nos para toda a vida. Desafia-nos a crescer e a lidar com as frustrações, a partilhar espaço, coisas e atenção com outros, ensina-nos a lição da amizade, do perdão. Se a soubermos preservar, esta relação fica, mesmo quando os nossos pais já partiram. É o melhor presente que recebemos deles."

E é mesmo isto!

Ainda bem que tenho uma irmã com quem aprendi tudo isto. Ainda bem que o meu marido tem irmãos com quem aprendeu tudo isto e com quem posso prolongar um pouco do que vivo com a minha irmã.
Ainda bem que as minhas filhas também se têm como irmãs :)





7/12

Ora bem, dado o objectivo de ler um livro por mês até nem vou mal lançada.

O que me deixa maia apreensiva nesta meta a atingir é que vem aí um bébé e das duas uma: ou leio mais, ou deixo de ler! :)

E depois, o desafio de leitura a que me propus este ano para o verão é muito... muito... é muito, pronto! A ver vamos!

Para já, este que acabei de ler agora: estava na prateleira há anos e nunca tinha pensado mesmo em lê-lo mas agora na Páscoa proporcionou-se e olha: gostei muito! São Paulo era um personagem mesmo... ainda bem que ele era assim. Também lhe devo a Fé que hoje tenho!


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Se...

... der para ser por encomenda: é para de hoje a um mês, se faz favor!


terça-feira, 23 de maio de 2017

O tempo passa...

Durante anos neste dia acordava e lembrava-me sempre que era o dia em que tinha morrido um amigo. 

Acordava com aquele peso da tristeza e a pensar várias vezes que já não me lembrava tantas vezes dele, que já não pensava tantas vezes nas nossas parvoíces, nas nossas gargalhadas.

Depois o nosso cérebro vai associando que ele morreu no dia em que não sei quem fazia anos... 

E hoje, aconteceu-me que só me lembrei que dia é porque o facebook me lembrou que alguém faz anos e então a ideia de... hoje é 23 de maio!

E sorri...

Sorri porque ao acordar não acordei com o peso de algo mau, mas de algo resolvido de certeza e embora as saudades ainda se façam sentir, sei que ao fim de anos (já perdi a conta a quantos porque deixei de os contar) tenho presente ainda o sorriso desse meu amigo .

Tenho a certeza que poderei lembrar-me dele como alguém muito bom que passou pela minha vida, de quem acho que terei saudades e que pensarei muitas vezes (não sei bem porque motivos, nem porquê) mas que na vida, mesmo a morte tem solução... Não está é nas nossas mãos a sua resolução!

E parabéns às muitas pessoas queridas que fazem anos hoje! :)

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Novidades na gravidez

Quem diria que na 4ª gravidez ainda há cenas novas?

Pois que agora temos de tomar a vacina da tosse convulsa.

O chato é que só se toma no centro de saúde :P Lá fui eu!

Respirei fundo e levei a minha alta dose de paciência e a enfermeira lá me explicou que agora a vacina do tétano passou para 20 anos e portanto levei esta!

Não doeu nada, não me dói o braço, nem está inchado, nem coisa nenhuma :)


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Peregrinar

Fui a Fátima!

Sabia que tinha muita gente preocupada, afinal só um doido se mete em confusões de propósito e ainda para mais uma grávida de 7 meses e meio.

Íamos conscientes de que o carro ia ficar longe porque só íamos de tarde... e sabíamos que não podíamos ir para apertos por isso também na disposição de ver tudo pela televisão.

Mas não fazia mal... não podia era ficar em casa! Então o Papa vinha cá e eu não ia vê-lo???

Fui, claro!

O carro ficou muito perto e assim que o Papa chegou vi-o mesmo ali :) nunca o tinha visto tão perto!

Entretanto conseguimos ir para ainda mais perto e passou mesmo, mesmo ali a um metro. Do estilo se esticasse a mão dava-lhe um five...

Foi tão bom!

Foi bom especialmente porque o Papa não veio para o espetáculo, nem veio ao histerismo, veio na peregrinação dele e até agradeceu que deixássemos que se juntasse à nossa peregrinação. Naqueles silêncios pensei algumas vezes: como é possível que eu nunca tivesse vindo a um 13 de maio? 

E acredito que ele tenha pensado o mesmo :)

Este encontro foi tão bom, tão bom de tão pacifico, de tão cheio de Deus e da graça de ter participado com o Papa na canonização dos Pastorinhos. Sinto-me cheia não daquela euforia que costumo ter nestes encontros, mas com o coração cheio de ter participado num momento tão marcante, alegre e cheio de Deus!


quinta-feira, 11 de maio de 2017

A beleza da maternidade

A Mafy hoje disse a sua primeira frase completa :)

Podia ter dito "Mãe és linda" ou "Mãe gosto muito de ti", mas a primeira frase completa da Mafy foi:

- Mãe estou a fazer cócó!

Tão bom! :)


segunda-feira, 8 de maio de 2017

Dia da mãe - parte 2

E porque hoje foi dia de ir à escola partilhar o Dia da Mãe!


Senhor aceita esta oração
Que te cantamos com amor e fé
Para Te agradecer a nossa querida mãe
Sé ela cuida como ninguém

Maria, aceita esta oração
Pois também tu, és mãe de Jesus
Neste dia abraça o seu coração
Diz-lhe por mim: Obrigada mãe

Meu presente de dia mãe!

Há dois anos nascia a nossa Mafy, surpresa mais querida :)

Nasceu apressada numa hora pequenina que tanto me desejaram e que aconteceu mesmo. Num parto que meteu um respeitinho daqueles mas que me fez surpreender e maravilhar outra vez com as graças que Deus nos concede.

A nossa Mafy consegue ser sol e lua, alegria e birra, ternura e maldade, tudo ao mesmo tempo e numa só.

Encanta-nos tanto com o seu amor, a sua docilidade e sorriso que convence, como nos dá cabo da cabeça com a uma birra, uma palmada nas irmãs ou um grito qualquer de quem contraria.

A Mafy chegou há dois anos à nossa vida, encheu-nos e preencheu-nos e hoje sorrimos porque a nossa família sem a sua presença era muito mais sóbria, mas muito menos feliz!